Mas além do papel que esta ‘biblia comportamental’ teve na série, existe mesmo a noção do seu peso, mesmo que de forma inconsciente, na forma como os homens se comportam. Mas todos os homens o seguem da mesma maneira? Claro que não!

Sem fazer destes pensamentos propaganda ao código, vamos tentar focar-nos na forma como todos os textos sagrados podem ser interpretados de formas diferentes por homens diferentes, desta vez, homens do bairro e homens da mansão.

BAIRRO

Dentro de um grupo de amigos, companheiros de vida e irmãos que não partilham mães; ou pelo menos durante uns anos, porque a partir de uma certa idade a ideia de ‘ir fazer uma visita à tia’ deixa de ser assim tão descabida; a forma como as relações decorrem no que toca a mulheres é peculiar e semelhante à época dos descobrimentos: se é território novo e ainda ninguém o reclamou, podes dizer que é teu, ficas com o território mesmo que o uses de mau agrado, nenhum dos irmãos poderá questionar.

Porém, todos os irmãos devem questionar a forma como tu tratas o teu carro, porque ao contrário das mulheres, o carro é algo que deverá ser motivo de orgulho de grupo; quem não quer ‘parar’ num café no Cacém na mesa do dono daquele Seat Leon amarelo?

A nível de transações entre o grupo, todo o dinheiro emprestado deve ser pago rapidamente, até porque embora um irmão possa esperar, a pensão de alimentos que ele vai ter de pagar pelo filho que não vive com ele não espera assim tão bem. Empresta-se dinheiro, mas dificilmente se empresta carro, até porque isso é extensão da personalidade que temos; nunca um irmão deve ficar com o carro de outro, para não herdar as memórias e os problemas… já as mulheres, passarem por todos os irmãos é ritual de iniciação.

MANSÃO

Aqui a própria definição dos visados é difícil de entender, já que numa mansão os irmãos realmente irmãos, com a mesma mãe e mesmo pai, podem tratar-se por você, criando um afastamento. Isso é o início do fim no que toca a seguir o Bro Code.

Embora haja a noção de proximidade e lealdade na mesma, os princípios são muito diferentes, até porque, o número de pessoas com que te podes circundar é mais limitado, de forma a garantir que nenhum pai, mãe, avó ou avô tem um ataque por perceber as companhias com que o Bernardo fuma ganzas às escondidas quando ainda é novinho. Tudo isto faz com que os comportamentos entre o grupo sejam diferentes, não havendo, por exemplo, nenhum mal em roubar a namorada uns dos outros, desde que o pai não retire o investimento nas acções do encornado. Ganhamos de um lado, perdemos do outro.

Em relação a bens materiais, das duas uma, estamos numa idade com tanto bem material que não ligamos ao Bro Code, ou estamos numa idade com tanto Bro Code que não ligamos aos bens materiais, deixamos essas preocupações a cargo do nosso ‘paitrocinio’ (viram o que eu fiz aqui? Obrigado.), havendo sempre uma exigência para termos o melhor dos carros, dos telemóveis e das experiências. Alguém que não tenha, será, de forma correcta, expulso do grupo. Conviver com fracos de espírito tudo bem, mas com alguém que ainda tem um iPhone 7 ou um carro de antes de 2014 é que não.

RESULTADO

O Bro Code é respeitado e desrespeitado pelas duas partes em diferentes momentos, por isso agora até podem escolher que bocadinhos podem ir defender a cada uma das partes: se a lealdade à amizade acima das mulheres, como defende o verdadeiro Bro Code quando afirma ‘bros before hoes’, ou se o código da sobrevivência do (bro) mais forte na selva da classe alta.

Escolham bem, façam como o Rei

Partilha isto:
Rúben Branco
Rúben Branco
Sou o Rúben Branco, comediante desde 2015, sou de Lisboa mas ando um pouco pelo país todo a fazer alguns espetáculos. Queres saber como podemos falar sobre espetáculos, gravações ou um jantar a dois porque te sentes desacompanhado? Envia-me um mail! #RubenBranco123 Abraço.