Caríssimo Dr (que quase toca no meu ponto) G, há umas semanas atrás escrevi-lhe 2 histórias bem grandes, e o Dr assustou-se com o tamanho das mesmas. Desta vez, trago uma história bem diferente, e mais curta (literalmente). Tenho um conhecido que anda atrás de mim há anos, nunca lhe liguei muito, ele é engraçado, mas é um bocado cola demais, o que não me atrai. Porém, há cerca de 2 anos, numa altura em que estive de férias em Portugal, lá dei oportunidade ao rapaz e fomos jantar. Ele até ia dizendo as coisas certas, e convencendo-me aos poucos. - A verdade é que eu também estava a precisar de sexo, coisa que já lhe disse que adoro, e pensei, porque não? Já no carro, no meio do nada, eu ainda não estava totalmente convencida, e depois de pôr a mão o material dele, percebi mesmo que não ia dar... Era minúsculo, mas mesmo pequeno... - Está a ver o seu dedo indicador? Provavelmente mais fino que isso. Não deu, recusei de vez, subtilmente claro. Não foi propriamente chocante, porque eu estava sempre a fugir, e ao passar um carro, tive a desculpa perfeita. Já lhe disse vezes sem conta que não estou interessada, já deixei de lhe responder várias vezes, mas ele volta sempre a tentar falar comigo e pergunta quando vou a Portugal. O que fazer para que ele entenda que eu sou areia a mais para o camião(zinho) dele (tanto a nível físico como psicológico) sem lhe destruir ainda mais a auto-estima? Eu sei que ele não tem culpa, infelizmente há homens que não nasceram abençoados nesse departamento, mas para além de eu não ser nenhuma madre Teresa de Calcutá, não me contem a história do "pequenino e bom trabalhador", porque uma mulher quer é um c@#§%&o grande! E que funcione bem. E não, não existem mãos ou língua ou outra coisa qualquer que consiga substituir uma boa pila e uma boa Performance de penetração. O que faço se me voltar a acontecer algo semelhante? Neste caso foi fácil decidir, mas se estiver em casa de alguém, não posso ver uma pila anã e fugir sem explicação. Por favor, dê-me mais alguns dos seus sábios conselhos, à bruta, porque já sei que é como gosta mais (de os dar). As eternas dúvidas de quem está solteira e gosta de sexo. Mas só do bom. E com preservativo. (Só porque tem de ser). Sim o texto é enorme afinal, mas hoje foi só isso que teve tamanho decente aqui.

Juliana T., 29, Suíça

Doutor G:Cara Juliana, saiu um estudo há pouco tempo que diz que o tamanho não é assim tão importante para as mulheres. Esse estudo foi feito por um homem de pénis pequeno, obviamente. É sobejamente sabido que o tamanho importa e muito, nem que seja psicologicamente, como se pode comprovar pelo facto de teres perdido a vontade imediatamente após verificares que ele tinha um esparguete e não um pene. Grande trocadilho, caraças. Adiante, não percebi, no entanto, se verificaste a sua envergadura já pronto para a acção ou ainda com a moleza. O tamanho do pénis adormecido não é directamente proporcional ao seu tamanho quando pronto para a festa brava. No estrangeiro, esse local de onde tudo o que vem é bom, até têm termos diferenciadores para estes dois tipos: shower e grower. Como o nome indica, o shower é aquele que tem para mostrar. Que alberga entre as pernas um penduricalho bastante avantajado quando murcho, mas que depois apenas cresce alguns centímetros na hora do desembarque na Normandia. O grower é o oposto, aquele que parece um mini rebaixado, mas que por baixo do capô tem um motor que o leva a grandes velocidades de ponta, esticando o ponteiro das rotações bastantes centímetros, por vezes mais do dobro. Se ele já estava irrigado de sangue e pronto para mergulhar para a trincheira e mesmo assim era mais fino que um dedo mindinho, realmente seria complicado fazer alguma coisa com o instrumento. No entanto, não acho de bom tom que se fuja devido à ausência de tamanho, imagina como te irias sentir se um gajo ao tirar-te as cuecas fugisse porque tens uma crista de peru, pêlo a mais ou um escurecimento labial? Se já estás numa situação pronta para ir ao castigo, é aguentar e fazer outras coisas que te possam dar prazer. Se fores boa como pensas, ele também não vai durar muito tempo. Por vezes é preciso termos espírito de sacrifício e nenhum é maior do que dar uma queca sem vontade só para não destruir a auto-estima da outra pessoa. Os voluntários em África pensam que eles é que se sacrificam, mas isso é porque nunca passaram por isso.

Caro Doutor G, gostava de saber como posso encontrar uma namorada para partilhar a minha vida. Eu não sou o Brad Pitt mas sinto que sou mais atraente que um Fernando Mendes ou um José Raposo que até tem sacado umas gajas jeitosas. Por estas duas linhas comprovei que até tenho um certo sentido de humor penso eu e tenho uma situação financeira estável. De qualquer modo não consigo encontrar uma senhora que fique minimamente atraída por mim. Se um gajo for se tentar informar a melhor forma a receita é sempre a mesma...Não se mostrar desesperado e continuar à espera tranquilamente que há de chover uma gaja do céu um dia qualquer. Já tive algumas relações anteriores mas nada verdadeiramente sério. Sinto que estou a chegar ao fim da linha e o último passo será ligar à Maya para bater uma Bisca de 7 comigo ...O que é que ela faz com as cartas mesmo?

Zé Manel, 25, Lisboa

Doutor G:Caro Zé, a diferença é que o José Raposo é famoso e o Fernando Mendes tem sempre presunto e enchidos em casa, por isso é que se safam, independentemente do seu aspecto físico. Se queres arranjar uma parceira para fazer da tua cama um sambódromo, tens que ir à luta. Os homens não se podem dar ao luxo de ficar sentados ou de pé ao balcão à espera que elas tropeçam e caiam de boca no nosso colo. Se queres, tens que tomar a iniciativa, falhar e falhar e voltar a falhar, até que, encontres uma que queira alguma coisa contigo. É a vida c’um sócio não escolheu, mas é a vida que tem que ser. Seja como for, se o desespero apertar, mais vale ir a uma casa de alterne do que ligar à Maya. É que para além de te sair mais caro por causa das chamadas de valor acrescentado, se calham a fazer um 69, ela faz-te um toque rectal com o nariz. Tens 25 anos, ainda não está na altura do teu checkup à próstata.

Cumprimentos, Sr Dr G, venho por este meio pedir umas gotas da sua vasta sabedoria. Actualmente, estou numa altura em que a vida académica e a vida em geral não me corre como esperado, de maneiras que ando com a confiança (e apenas a confiança) em baixo. Talvez por causa disso, os engates não andam a correr bem e agora tento apenas fazer isso através das redes sociais. Há uns dias adicionei uma rapariga bem gira no face, mas ainda não falámos nada, apenas uns gostos e uns comentários inocentes num mural, sendo que parecemos ter alguns gostos em comum, e ela parece não ter namorado. Queria meter conversa, mas ando armado em xoninhas e não me ocorre nenhuma boa forma de o fazer. Que abordagem me aconselha? Como falar com a moça sem ela se assustar e fugir, e mesmo como inverter esta maré menos boa?

André, 23, Coimbra

Doutor G:Caro André, antes de mais, nunca mais digas “face”. A sério, não faças isso. Se ela aceitou o teu pedido de amizade e se ela já fez like em fotografias tuas do nada, é porque está interessada. O like nas fotos de perfil (especialmente se for nas anteriores à actual) é o piscar de olho do antigamente, é o ritual de acasalamento 2.0. Diz-lhe “Olá”, é tão simples quanto isso. Prepara umas perguntas para não deixar a conversa morrer nos instantes iniciais, mas nada de lhe perguntar sobre o tempo ou política internacional. Se ela estiver interessada irá também manter a conversa viva e fazer-te perguntas. Se isso acontecer e a conversa fluir, está o caminho aberto para a convidares para ir tomar um café, ou ir ao cinema ou uma merda dessas qualquer que a malta jovem de hoje faz. Ela já sabe que tu estás interessado nela, já que lhe pediste amizade e vais meter conversa, por isso, não vale a pena fazeres-te de muito difícil. Ela tem a faca e o queijo na mão, mas tu podes trazer o salpicão para acompanhar. Não percas é muito tempo, há uma janela de tempo limitada desde que pedes amizade até meteres conversa, se deixas passar muito tempo e não passas dos likes, ela vai olhar para ti como um xoninhas que não tem confiança para fechar negócio. E nada, nada, é mais desmoralizante para uma mulher do que perceber que o homem não tem confiança. Bem, não ter dentes é capaz de ser pior.

Caro Dr G, tinha uma namorada há uns anos, na altura achava que seria o amor da minha vida, mas com desgaste do tempo, éramos novos, acabámos por nos separar. Entretanto cada um seguiu a sua vida, ela casou há 3 anos, tem uma filha e foi morar para Lisboa (eu continuei a morar no Porto) e eu tenho tido os meus relacionamentos. A decisão da separação, na altura, foi principalmente minha. Não nos víamos há uns 4-5 anos mas há cerca de 6 meses, numa das suas vindas ao Porto, reencontrámo-nos acidentalmente e acabámos por nos enrolar. Foi de tal maneira bom, que quando ela vem ao Porto, acabamos debaixo dos lençóis. Ela quer deixar o marido para estar comigo. No entanto, não faço intenções de ir viver para Lisboa e não acredito que uma relação à distância, apenas juntos de 15 em 15 dias, ou aos fins de semana, funcione. Neste momento não tenho nenhuma relação, estou-me a cagar para o marido dela, por isso não me importo de ir mantendo esta relação de fodas esporádicas. Ao mesmo tempo não é uma pessoa qualquer, e tudo isto faz-me vacilar bastante. Para complicar a situação, soube que quando estávamos separados, andou enrolada com dois amigos meus. Eu bem tento ser evoluído e moderno, pensar que na altura não tínhamos nada um com o outro, mas esta merda faz-me muita confusão à cabeça. Da parte dela e da parte deles. Aliás nunca lhes disse que sei, mas ando bastante aziado com esta merda! Os amigos deviam respeitar regras básicas, como não comer ex-namoradas uns dos outros! O problema basicamente é este. Sendo eu um leitor assíduo deste consultório, imagino alguns dos teus conselhos ou sugestões. Mas uma vez que esta situação é confusa irei valorizar bastante a tua opinião.

André, 27, Porto

Doutor G:Caro André, não se trata de modernices, trata-se do facto da tua ex-namorada ser uma puta. Uma puta amadora, note-se, já que não cobra dinheiro. Como se não bastasse o facto de andar a ornamentar a cabeça do marido com prendas de marfim, ainda teve o desplante de chafurdar na pocilga com dois “amigos” teus. Se fosse um, epá, podia ter acontecido numa noite de bebedeira ou carência. Agora, dois? Dois é de quem não sabe dizer que não. É de quem vai ao Chimarrão e está sempre a pedir mais salsicha ao empregado. O meu conselho é o seguinte: não penses sequer em ter algo mais sério com ela! Mas é que nem penses nisso, porque, para além de depois teres que aturar a filha do outro, ainda vais receber tiaras de cornos regularmente. Se queres continuar a dar-lhe uma ou outra bandarilhagem de vez em quando, é contigo mas não aconselho. Outra coisa que tens que rever são os teus amigos, já que há regras de etiqueta que não se quebram e, a quebrar, é de bom tom contar-se. Se eles comeram a tua ex e não te disseram nada, não são teus amigos, é tão simples quanto isso. Diz-lhes “Lembram-se da minha ex que vocês comeram? A minha pila esteve no sítio onde vocês andaram com a boca. Era só para ficarem com essa imagem na cabeça. Obrigado e bom dia”.

Caro Doutor G., fui violada pelo meu ex-namorado e fiquei com graves traumas emocionais, ainda para mais porque ele persegue-me há mais de um ano, pois não aceita o término do namoro. Deixei de saber lidar com as emoções e tenho receio de não conseguir voltar a ter um relacionamento com ninguém e nunca mais conseguir voltar a ter relações sexuais. Como não me parece justo namorar com alguém a quem nunca me vou conseguir entregar por completo, fujo do amor como o Diabo foge da cruz. Só que recentemente conheci um rapaz que me trata com um respeito e admiração aos quais não estou habituada. Sei que ele está interessado em mim e parece-me ser bom rapaz (parecem todos no início quando nos tentam conquistar) mas eu não me sinto com coragem para arriscar. O que devo fazer?

Carlota Santos, 27, Ponta Delgada

Doutor G:Cara Carlota, primeiro deves ir à polícia e fazer com que o teu ex-namorado seja preso. Se a justiça não funcionar, deves contratar dois criminosos para o caparem com um corta-unhas. De resto, deves arriscar, se ele te trata bem, é disso que estás a precisar neste momento. Qual é a pior coisa que te pode acontecer? Ser violada? Isso era como ganhar o euromilhões duas vezes mas em mau. Não podes deixar que o atrasado mental do teu ex-namorado, para além do mal todo que já te causou, ainda consiga vencer ao fazer com que tu nunca mais confies em ninguém e te consigas dar por completo. Tens que mostrar a ti mesma que és mais forte do que o cobarde filho da puta que te violou. Mais uma vez, eu conheço gente que é amiga de pessoas que por 500€ fazem desaparecer pessoas. Posso perfeitamente servir de intermediário e fazer com que o amarrem a uma árvore em Monsanto e o sodomizam com troncos de pinheiro resinoso. Se fosse eu a mandar nisto, a pena para violação seria sempre essa, antes de os abater a tiro, claro.

Olá doutor, tenho uma amiga com a qual tenho saído várias vezes de há um tempo para cá (cerca de um mês). Acontece que estamos a viver uma espécie de romance, em que estamos bastante enamorados e vamos aproveitando cada momento juntos. Acontece que quando vou ter com ela a algum local, dou-lhe um abraço e um beijo, mas os beijos dela são tão intensos que o meu coração bate, a transpiração começa a aparecer na testa e o sangue flui para um único sítio apenas. Após isto mantemo-nos no nosso encontro e eu tento ocultar qualquer estranha ocorrência corporal (ao início era mais difícil pois ficava bastante nervoso), acontece que após isto o pior surge, começo a sentir uma humidade enorme nas zonas mais sensíveis do corpo, que depressa passam a uma fonte, qual fonte dos amores, que depressa deixa uma marca em qualquer roupa que esteja a usar, numa zona não muito bonita para que depois ela sugira irmos dar uma volta pelo parque. Doutor será que me pode ajudar? Como posso resolver este problema? Obrigado Doutor!

José Mouro, 26, Portugal

Doutor G:Caro José, vens-te nas calças só de estares ao lado dela? Caraças, isso só pode ser amor. Ou não chegas a bojardar o sémen todo e ficas-te pelo fluído pré-ejaculatório? Há que ser específico nas dúvidas que se colocam. Seja como for, isso é sinal que te sentes atraído por ela e que brota por ti todo uma vontade imensa de a possuir. No entanto, não querendo agoirar, a primeira vez que o fizerem vai correr mal. Vais ser uma espécie de Ferrari, que não vai precisar de três segundos para chegar dos 0 aos 100. Tens que tirar isso do sistema e do teu pensamento. Já experimentaste dançar um zumba de mão antes de ires ter com ela? Só para o bicho ficar mais calmo. É como quando se deixam os cães sozinhos em casa, convém ir dar uma volta com eles e fazer um pouco de exercício para que fiquem mais calmos e não sofram de ansiedade por falta do dono. Se continuar a acontecer, podes sempre dizer-lhe “Tens um penso higiénico que me emprestes?É que és tão boa que eu estou aqui com um corrimento de nhanha que não me aguento!”. Se ela for a mulher da tua vida, vai-se oferecer para te dar uma ajudinha.

Caro doutor G, namorei com um rapaz durante alguns anos, durante esse tempo sempre fui fiel. No entanto, sempre mantive uma secretíssima atracção pelo melhor amigo dele. Depois da separação vivi, como faz parte, por aí umas noites loucas e numa dessas noites viria a acontecer o improvável. Encontrei o melhor amigo também já aviado. Resultado: acabámos a lutar pelados. Pois bem, agora é que começa o problema. Esse assunto nunca mais veio à baila é segredo absoluto, ambos sabíamos que o que tínhamos feito era mau e nem foi preciso falar, simplesmente ignorámos para sempre. Nunca achei que ele sentisse nada por mim, a verdade é que não resistiu e esteve comigo. O que me levou a pensar, será que sempre foi mútuo? Depois disso, já nos encontrámos, por acaso, e sinto que ele olha para mim com um sentimento estranho, acho que a melhor forma de o descrever é utilizando uma metáfora. Está a ver as gordas quando vão ao macdonalds e comem um big mac com todos os molhos e cola grande? No final ficam a olhar para a caixa vazia com um ar de remorso, desalento e com uma pontinha de tristeza no olhar. Isso mesmo, ele é a gorda e eu sou o big mac. Nunca avancei, nunca recuei, nunca mais falámos sobre isso. A questão é: em que circunstância poderia eu conquistar, sem me meter em grandes avanços e aventuras, esse xuxu que tanto me fascina, fazendo com que ele “se borrifasse” para o código dos amigos: “ex namorada de amigo é homem”? (isso já ele fez, digamos, a não ser que seja cotonete e dê para os dois lados) É possível realmente que isso aconteça quando se trata de uma amizade séria? Já sei que acha que comer restos de amigos está completamente fora mas e se eu me enganei no amigo? As pessoas erram... Não sei o que fazer, vou com tudo ou retiro-me sem nada? Grata pela sua ajuda.

Catarina, 24, Porto

Doutor G:Cara Catarina, vocês e a mania de comer os amigos dos ex namorados ou os namorados das amigas... Eu sei lá se já era mútuo antes, se era é porque ele não é um bom amigo. Eu tenho amigos que têm ou já tiveram namoradas que são bonitas, sei ver isso, agora daí até sentir qualquer tipo de atracção por elas, valha-nos nosso senhor. Para mim, namorada (ou ex) de um amigo, não só é um homem como é dos feios e malcheirosos. Nem que eu estivesse todo bêbedo e sem sexo há um ano e elas se viessem pendurar em mim teriam sorte. Sou um amigo do caraças, é o que é. Mas bem, se o mal (ou bem) já está feito, não se pode fazer nada. A bem dizer a obrigação ética está do lado dele e não do teu. Digamos que não é moralmente correcto mas não infringiste nenhuma regra. No entanto, só posso aprovar e incentivar-te a conquistar o rapaz no caso do teu ex-namorado ser um palerma. Se ele te tratava mal, não te respeitava ou te traiu, até te digo mais: faz de bola saltitona em cima do amigo dele, grava e envia-lhe para o mural do Facebook no dia de anos. Caso contrário, se ele era bom moço, não me parece que haja necessidade de lhe esfrangalhar a amizade. Sim, as pessoas enganam-se mas têm que viver com esses erros, não é querer tudo para elas. Se achas que esse amigo é o homem da tua vida, força nisso, mas tens que estar consciente que o fantasma do amigo irá sempre estar presente. Se ele por acaso vê o teu ex no balneário e vê que ele tem o zé gaitas maior, vais ter que aturar as inseguranças dele para sempre.

Têm dúvidas que querem ver esclarecidas pelo Doutor G? Então enviem paraporfalarnoutracoisa@gmail.com.

Partilhem e façam muito amor à bruta, que de guerras o mundo já está cheio.

Partilha isto:
Por Falar Noutra Coisa
Por Falar Noutra Coisa
Blogue pessoal de tudo um pouco. A minha mãe diz que é giro por isso acho que deviam dar uma vista de olhos. http://porfalarnoutracoisa.blogspot.com